Flores do Jardim

Trago uma herança de muitos jardins: da casa em que passei minha infância em Macaé– RJ, de meus avós e tias, da fazenda do meu pai e dos meus antepassados. Jardins cuidados com esmero e dedicação, trocas de mudas e algumas vezes uma perda por causa de algum "olho grande". Daí vem minhas primeiras noções de forma, cor, luz e composição, que definiram meu olhar como designer e artista.

 

O "gosto" de fotografar flores começou quando minha filha se mudou para outra cidade com a mãe. Todos os dias, assim que acordava, enviava para ela um "Bom Dia" com uma foto de uma flor. Me tornei um caçador de flores e sempre que vejo uma me lembro dela!

 

Quando minha família se mudou para o Rio de Janeiro, o Jardim Botânico se  tornou o jardim que também podia chamar de meu. Este ensaio é fruto de muitas caminhadas pelo Jardim o e reflete um pouco de minha história.